O infrator está sendo investigado pelas equipes da especializada por envolvimento em 14 casos de homicídios na capital, relacionados ao tráfico de drogas.
Foto: Erlon Rodrigues / Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Juan Valério, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), falou na manhã desta quinta-feira (8/2), durante coletiva de imprensa realizada no prédio da unidade policial, sobre o cumprimento de mandado de prisão por homicídio em nome de Alexsandro Oliveira dos Santos, 29, o “Sandrinho”, apontado pela autoridade policial como o líder do tráfico de drogas no bairro São Jorge, zona oeste. 

“Sandrinho” foi preso pelas equipes da DEHS no início da tarde de terça-feira (6/2), por volta de meio-dia, no bairro Centro, zona sul da cidade, em cumprimento a mandado de prisão preventiva pelo homicídio de Clerton da Silva Menezes, que era chamado de “Bombinha”. O crime aconteceu no dia 8 de novembro de 2016, na Rua Isaac Benjó, antiga rua Arthur Reis, bairro Vila da Prata, zona oeste. A vítima tinha 27 anos. Durante a prisão do infrator, os policiais civis apreenderam com ele um veículo da montadora Kia, modelo Sportage, de cor branca.

“Clerton trabalhava para o infrator comercializando entorpecentes. Após ser preso e sair da cadeia, a vítima abriu um estabelecimento comercial no bairro Vila da Prata. “Sandrinho” queria que Clerton vendesse drogas no estabelecimento dele, entretanto, ele se recusou a fazer isso, contrariando “Sandrinho”, que decidiu matar Clerton”, explicou o titular da DEHS.  


Investigação - Juan Valério ressaltou que Alexsandro é investigado pelas equipes da DEHS por envolvimento em outros 13 casos de homicídios. Todos relacionados ao tráfico de drogas. No dia 17 de julho de 2012 o infrator participou da morte de Glauciney Oliveira do Carmo, o “Glau”, que tinha 32 anos. O crime ocorreu em frente ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na avenida Mário Ypiranga Monteiro, bairro Adrianópolis, zona centro-sul. De acordo com o delegado, “Glau” comandava o tráfico de drogas no bairro São Jorge, zona oeste. Após a morte dele, “Sandrinho” passou a comandar a comercialização de drogas no lugar. Na ocasião da morte de “Glau”, Alexsandro, juntamente com outros três indivíduos, foi preso em flagrante.

Em depoimento na especializada, Alexsandro confessou a autoria do homicídio de José Roger Chaves da Silva, no dia 25 de maio de 2017. “Sandrinho” relatou que a vítima já teria tentado matá-lo. O crime aconteceu na avenida Constantino Nery, bairro Flores, zona centro-sul da capital. O homicídio foi registrado por câmeras de segurança instaladas naquela região.

“São 14 casos de homicídios que ele participou, seja na execução ou como mandante. Segundo “Sandrinho”, a morte de José Roger aconteceu porque a vítima estaria vendendo entorpecentes na mesma área em que ele vendia substâncias ilícitas. O infrator argumentou, ainda, que José Roger também teria tentado matá-lo. Acompanhado de outros indivíduos, Alexsandro aguardou o momento em que a vítima saiu de uma igreja para cometer o delito”, disse Valério.


Intimidação - O titular da DEHS enfatizou que após os crimes, Alexsandro ordenava que os comparsas dele fossem até as casas das famílias das vítimas, com o objetivo de intimidá-las, para que não o delatassem à polícia.

“Durante seis meses realizamos diligências intensivas nos bairros São Jorge e Vila da Prata, a fim de identificarmos o infrator, porque sempre os homicídios eram cometidos da mesma forma, com as mesmas características, mas tínhamos dificuldades de conseguir testemunhas porque ele era temido na área. Quando ele cometia os homicídios, enviava os comparsas às casas das vítimas para ameaçar os familiares de morte, caso o denunciassem à polícia”, relatou o delegado.


Procurado - Ao longo da coletiva de imprensa, o titular da DEHS destacou que um dos comparsas de Alexsandro, identificado como Alexandre Alves da Silva, está sendo procurado pelas equipes da DEHS. Segundo a autoridade policial, Alexandre participou do homicídio de Clerton da Silva Menezes. Juan Valério disse que já possui mandado de prisão preventiva decretado em nome do indivíduo.

“Conseguimos o mandado de prisão em nome de “Sandrinho”, bem como do braço direito dele, Alexandre, que é considerado o principal pistoleiro dos casos. Solicitamos a quem tenha informações sobre o paradeiro de Alexandre Alves da Silva, que denuncie pelo número: (92) 98118-9535, o disque-denúncia da DEHS. Asseguramos o sigilo da identidade do informante”, garantiu Valério.

Alexsandro foi indiciado por homicídio qualificado, pela execução de Clerton da Silva Menezes. Segundo o titular da DEHS, o infrator também será indiciado pelos outros 13 homicídios e organização criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis na especializada, “Sandrinho” será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá ficar à disposição da Justiça.


Vítimas - Rodrigo Henrique Santos Bandeira, morto no dia 4 de julho de 2015; Elias Wendell Lima de Oliveira, no dia 3 de setembro de 2015; Afrânio Junho Lima, no dia 1º de fevereiro de 2016; Jhonata Palheta Marques, o “Cebola”, no dia 24 de maio de 2016; Eden Ferreira Paz, em 4 de junho de 2016; Clerton da Silva Menezes, no dia 8 de novembro de 2016; duplo homicídio ocorrido no dia 18 de maio de 2017, tendo como vítimas José Wisley Ludugero Terencio e Kelison da Silva Nascimento.

“Sandrinho” também tem participação nos homicídios de José Roger Chaves da Silva, ocorrido no dia 25 de maio de 2017; Marcelo Andercley Rodrigues de Souza, no dia 30 de julho de 2017; Paulo André Lima Rodrigues, o “Diabo Loiro”, em 7 de agosto de 2017; Suzyane Katlen Valentin de Souza, no dia 6 de setembro de 2017; José Santos Rodrigues de Araújo, no dia 11 de novembro de 2017; Emerson Lopes de Souza, no dia 19 de novembro de 2017, e Igor Ferreira Gomes, no dia 1º de dezembro de 2017. 


Com informações da Assessoria.

Qual a sua reação?



Comentários no Facebook